Livres para voar

O que é "Livres para voar"?


À medida que as meninas e meninos cresceram, ultrapassando os dezoito anos e completando os estudos do Ensino Médio do Nepal, sentimos a necessidade de quebrar um pouco o vínculo da dependência que eles tinham com o Programa. Faz parte da dignidade humana ser livre para tomar as próprias decisões e livre para se manter. É claro que alguém que não tem um prato de comida, não está pronto para isso. Mas a partir do momento que ele tem comida, estudo, estrutura familiar, faz parte do amadurecimento humano se sentir produtivo, se sentir útil para o trabalho, conseguir se manter e ser independente.

Em 2012, recebemos a visita da Dra. Katy Braun, juíza da vara de Direito e Infância no Rio Grande do Sul. Ela foi a primeira a nos dar essa idéia de “repúblicas” para que as meninas e meninos maiores pudessem começar a alçar seus primeiros voos fora das nossas Casas.A Rosmari então esboçou um projeto que intitulamos “Livres para Voar”. Nesse projeto, nós como Programa montamos pequenos apartamentos, num conceito de pequenas repúblicas, para que as meninas e meninos maiores de idade possam ser mais livres. Nós montamos os apartamentos, mas eles é que pagam os custos de aluguel e alimentação.

É claro que eles continuam sendo monitorados e assistidos nas dificuldades que encontram, mas se tornam livres para tomar suas decisões.Quando um filho de colo começa a caminhar, ele deixa de ficar em nosso colo, mas não deixa de receber nossos cuidados nas dificuldades que vai enfrentar até sua maturidade. Assim é nosso conceito neste projeto.Não queremos esconder os problemas. Nem tudo acontece como nos filmes da “Disney”. Temos enfrentado dificuldades de toda sorte, assim como pais enfrentam diferentes dificuldades no processo de amadurecimento dos seus filhos. Nem sempre eles fazem boas escolhas, mas nós estamos sempre lá, para oferecer nosso socorro.Até o momento, 38 jovens já “voaram”. Alguns permaneceram trabalhando conosco na organização, outros se casaram, outros se mudaram para outras nações.Mas podemos dizer que a maioria está voando bem, e voarão mais alto!Vamos compartilhar o testemunho de Selma, menina que foi resgatada e hoje trabalha como líder do Programa e sustenta a sua própria família!

  • Conheça a Selma

“Meu nome é Selma. Vou compartilhar com você sobre como a vida de toda minha família foi mudada. Antes de vir para o Programa Meninas dos Olhos de Deus minha vida era diferente e amarga. Minha família era muito pobre, cercada de sofrimento e lutas, e meus pais era viciados em álcool. Por causa desse ambiente horrível eu fui para as ruas, perambulava e com outros na mesma situação comecei a usar drogas e me viciar. Eu tive minha vida muito destruída nesse tempo, fiquei realmente deprimida, sem esperança e sem qualquer perspectiva positiva. Mas eu vim para a Casa das Meninas dos Olhos de Deus no final de 2003. Nesse tempo pude realmente perceber o que é ser amada. O tio (Silvio) e a tia (Rosmari) e todas as irmãs realmente me amaram e me cuidaram. A cada dia fui sendo transformada, restaurada e percebendo o quão especial eu sou. Sou realmente grata por tudo.

No Programa Meninas dos Olhos de Deus comecei a crescer, recebi boa formação educacional e me tornar uma pessoa responsável. Eu sempre tive o sonho de voltar a viver com minha família bem para que pudéssemos cuidar uns dos outros. Em 2013 esse sonho foi realizado quando, por meio do Projeto “Livres para Voar” recebi a ajuda necessária para viver em um apartamento e trazer a minha família para morar comigo. Tenho sido ajudada a ser independente, trabalhando e assim abençoando minha família. Sou realmente grata e estou muito feliz. Quero agradecer a cada um da Família das Meninas dos Olhos de Deus. Como tenho sido feliz!”